<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d13730762\x26blogName\x3dD\x27Homem\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/\x26vt\x3d-9092945672773493816', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

02 março 2006

Rotundas



Qualquer homem á séria olha para as rotundas com um olhar embevecido. As rotundas são dos poucos sinais masculinos do progresso, e a sua existência é indispensável em qualquer burgo que ambicione projecção distrital. Aliás, homem com dinheiro que chegue constrói uma rotunda depois do portão da quinta para mostrar aos amigos do tasco como é rico.

Uma rotunda é mais ou menos uma estrada em círculo que não serve para rigorosamente nada de útil. Diz-se que a sua génese se deveu á intenção de diminuir a velocidade a que os carros se encontravam nos cruzamentos (atitude D'Homem, visto que é másculo um gajo ir do seu bágár, nomeadamente aos domingos), mas a única coisa que conseguem é fazer com que os carros se espetem para cima da relva.

A certa altura, depois de se construírem uma data de rotundas, alguém começou a perguntar-se qualquer coisa como "Ora bem, já plantamos estes monos, agora que se faz com esta merda?". A resposta óbvia era a colocação de hediondas peças de arte contemporânea para chamar a atenção. E lá estão elas...

Uns tempos mais tarde, um lírico qualquer teve a brilhante epifania de que as rotundas deveriam ser afectadas com um costume típico, tal como os túneis (onde o buzinar é mandatório para qualquer português que os tenha no sítio). Então surgiu a expressão "baptizar a rotunda", utilizada para designar esse tão másculo hábito de dar duas ou mais voltas a uma nova rotunda, buzinando até vir a mulher da fava rica (que expressão colhão...).

Aprendei, criaturas.

Ressabianços: 23

Blogger Maria Cachucha
(03 março, 2006 10:39)

essa do baptismo da rotunda foi inventada pela minha mãe que, por acaso, é mulher. já nos idos de 2003 a senhora se prezava de ir aos berros a apitar por tudo quanto era rotunda desse portugal.

aliás, a minha mãe ao volante é muito d'homem porque, quando está em filas de trânsito diz que aqueles filhos da puta em vez de irem para o shopping deviam era ir tirar as crostas do cú para casa. e quando se perde, telefona ao meu pai para dizer que está em "Vilar do Foda-se" ou em "Rebordosa da Puta que os Pariu".

 
Anonymous Copos
(03 março, 2006 12:18)

Fenomenal ó Maria Cachucha!!

Tem a certeza q a sua mãe n é um verdadeiro machão??Eu tb queria ter uma mãe assim!!

 
Anonymous Fiães
(03 março, 2006 16:30)

Cachucha, qnd a tua mae anda d mini-saia veem-se-lhe os colhoes, n?

 
Blogger Ginjas
(03 março, 2006 18:29)

Caro fiães,

não fosse o insulto directo à mãe da criatura em causa, ou o carácter paleolítico do comentário, até teria tido nível.

 
Blogger Maria Cachucha
(03 março, 2006 19:46)

hum... muito grunho?

 
Anonymous Anónimo
(03 março, 2006 20:17)

mas eu já os vi!

 
Blogger Maria Cachucha
(04 março, 2006 10:42)

... e doutoraste-te em Grunhismo Aplicado antes ou depois desse belo momento?

 
Anonymous Anónimo
(04 março, 2006 21:05)

encontro-me numa cruzada de seguir os seus passos caro ginjas

 
Blogger Ginjas
(05 março, 2006 00:47)

Faz bem, caro anónimo. Mas fique sabendo que há melhores exemplos D'Homem, como por exemplo a Maria Cachucha.

 
Anonymous Anónimo
(05 março, 2006 00:47)

EI A DIZER

 
Anonymous Anónimo
(05 março, 2006 00:47)

este post ´o rei dos posts

 
Blogger Megas
(05 março, 2006 05:23)

Sabes que quem é anónimo das duas uma:ou tem medo(bicha) ou é "gayssoun" que ainda anda a famigerar dentro do seu belo armario...está mais que provado que existem mulheres mais d'homem que certos e determinados individuos com um penduro à cinta denominado cordialmente de "gamardo"...e olha que engraçado: São mulheres... (avé Padeira :)

 
Anonymous Compi
(05 março, 2006 21:10)

Eh bem verdade, existem mulheres muito, muito de homem... A Maria Cachucha é uma dessas mulheres mas de vez em quando lá vem com uns comentários mais tristes... Enfim, só demonstra que por muito buço que uma gaja tenha, vai ser sempre mulher...


Já agora, que post tao d'homem!

Sai uma fana po ginjas, pago eu!!

 
Blogger José Nuno Ferreira
(06 março, 2006 13:54)

isto n tá no meu livro de código! vou queimar a porra do livro e vou passar a vir só aqui.
:o

 
Anonymous fiães
(07 março, 2006 18:04)

Ginjas, é d'Homem defender Cachuchas??

 
Blogger Maria Cachucha
(07 março, 2006 18:24)

Cachuchas não precisam de ser defendidas, visto terem colhoagem suficiente para serem senhoras de si e de primatas como bocelência.

 
Blogger Ginjas
(08 março, 2006 20:08)

Caríssimo e respeitável Fiães,

é de meu dever informá-lo que, não podendo assertar quanao significado do substantivo próprio plural "Cachuchas" por si aplicado, resta-me concluir que se refere ao plural de Maria Cachucha, afamada bloguista e comentadora assídua no D'Homem. Não me tendo apercebido da sua pluralidade, resta-me explicar que o facto de existirem vários comentários com a mesma assinatura não significa necessariamente que existam várias pessoas com esse nome. Por isso (e numa dinâmica de explicar lentamente o que a sua mente parece não assimilar), o facto de, neste post, existirem aí uns 5 comentários assinados "Ginjas", não significa que existem 5 indivíduos com esse nome - apenas que eu comentei 5 vezes.

Assim, não entendo a sua pergunta. Faça o favor de se explicar.

Atenciosamente,
Ginjas (o único, sim)

 
Blogger Maria Cachucha
(08 março, 2006 20:35)

oh, just marry me, kid!

 
Anonymous Compi
(09 março, 2006 01:17)

Deumalibre!

 
Anonymous Anónimo
(09 março, 2006 10:12)

owned

 
Anonymous insolente
(09 março, 2006 22:51)

um log d'hómem gostei desta merda... eu respondo cagar ali na questão ao lado e reparo que nao estou em maiorira, eu gosto de cagar quando chego a acasa, nao querem saber disso pra nada? é legitimo... ora entao um grande bem haja

 
Blogger Ginjas
(10 março, 2006 02:15)

Caro insolente,

cagar ao chegar a casa pode ter várias interpretações. Uma das quais primas pela rabilice, visto que pode ser analisada à luz de não se querer cagar fora de casa, o que é muito bicholas. Homem á séria caga onde e quando muito bem quer e entende, logo é pouco provável que lhe dê a vontade de arrear o calhau mal ponha os pés no pardieiro que é a sua casa.

Por outro lado, é muito de homem ler o jornal/catálogo do continente enquanto se caga, e esses items nem sempre estão disponíveis fora de casa (muito provavelmente foram comprados pela maria para o manel ler quando chegasse a casa).

Apesar de tudo, não se vai aguentar o rilhoto só para se ler o jornal durante o acto.

Espero ter sido esclarecedor. Com os melhores cumprimentos,

Ginjas (o único, caro Fiães, espero que repare bem)

 
Anonymous Anónimo
(15 março, 2007 02:34)

Very nice site! here

 

Enviar um comentário

<< dehomem.blogspot.com