<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d13730762\x26blogName\x3dD\x27Homem\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/\x26vt\x3d-9092945672773493816', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

01 setembro 2005

Paredes de Coura 2005

Tomando como exemplo o post sobre o Sudoeste, um apanhado sobre o Festival Paredes de Coura.


Antes demais, é de Homem ir um dia antes, para ir às festas da vila. Favaios com cerveja para todos, ao som de música pimba ou a ver o fogo-de-artíficio-do-caralho-em-ano-de-autárquicas. «Que D'Homem.»
Bonito acampar no meio da bicharada: Grilos e baratas nas tendas, formigas a deambular por toda a parte. «Que D'Homem.»

É possível ver coisas tão másculas que fariam tombar em tonturas e ai-jesus-alguém-me-acuda o Carlos Castro. Na zona dos duches do campismo, certo HOMEM não se coibiu de se despir todo. Ter ali o mulherio aperaltado de biquini a olhar para o seu gamardo. «Que D'Homem.»


Tal acontecimento não chega sequer aos peludos calcanhares de certa situação, protagonizada por determinado ser de barbas: Ter uma toalha com uma imagem de uma mulher nua, ao estilo zodíaco. Parafraseando certa senhora, «a toalha da gaja boa». Produtores de testosterona de todo o mundo, olhos nisto. Era de ver toda a gente nas praias portuguesas deste modo, ostentando toalhas com mulheres nuas. Aprendam com esta situação. Nem todos os jovens são tão-só homens normais. Há jovens de barba e voz de bagaço. «Que D'Homem.»

É de Homem haver gente como o «Máionése Mén», certo metaleiro de cabelo comprido, que pelo amanhecer se apresentava de tronco nu, com a cara e cabelo com muita máionése. Uma aparência tou-tão-fodido-que-dói, portanto. Que degredo, deuses do colhão. «Que D'Homem.»


Sendo um festival, é obviamente macho andar de tronco nu, a exibir a farfalhuda peitaça, acompanhado com cerveja D'Homem - Super Bock - numa das mãos, a outra a esfregar a barriga ou a coçar o regão do cu. Bronzeado à trolha obrigatório, principalmente no braço esquerdo, devido à condução. «Que D'Homem.»

Equipara-se em termos de colhoada ficar tão podre de bêbado que se rebola por uma ladeira abaixo, perdendo todos os pertences e só parando ao bater com a cabeça das grades. «Que D'Homem.»

É de homem encher um saco térmico com 20 cervejas. E mais não digo.

Aprendam. «Que D'Homem.»

Ressabianços: 3

Blogger Cuná
(02 setembro, 2005 01:32)

eu também não digo mais :P

 
Anonymous cuca
(02 setembro, 2005 18:07)

O que é de homem é andar de calções de banho da speedo ( tipo slips) e mais não digo

 
Blogger Megas
(03 setembro, 2005 07:29)

sim, é tão d'homem quanto beber um cocktail La Bomba Negra à tardinha ao som de Pet Shop Boys...

 

Enviar um comentário

<< dehomem.blogspot.com