<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d13730762\x26blogName\x3dD\x27Homem\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/\x26vt\x3d-9092945672773493816', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

21 julho 2005

No Supermercado


Desenganem-se. Homem que é homem vai ao supermercado.
Ao Jumbo ou ao LIDL.
De fato-treino e sapatilhas.
Ao domingo à tarde.

(Isto já foi aqui referido entre as actividades de domingo, mas esta célebre e louvável actividade merece um post só para si.)

O supermercado, à prióri um local tipicamente feminino, consegue tornar-se sítio de macho. Há que saber movimentar-se. Nada de passar pelas partes da roupa e equipamento para a casa. Vassouras, esfregonas (e levar com o cinto) são coisas do mulherio, do qual o macho se apodera. Homem não consegue viver sem a mulher. Porque há uma ligação entre eles. Se ela faltasse na sua vida... era o fim. Quem mais lavaria as suas cuecas e meias, quem mais faria o comer e levaria tareia se o repasto não estivesse como deve ser (do agrado do macho). Mas continuando, o macho apenas elege como seu percurso algumas zonas do grande hipermercado.

Primeiro, a parte das ferragens. Deus, que delírio. Prateleiras e prateleiras, de buchas e parafusos, pregos e martelos, arame e alicates. Filas de equipamento eléctrico e madeiras. Que mais pode querer um homem. Baldes de tinta, todo o tipo de colas, escadotes e armários de alumínio. Corredores e corredores carregadinhos não apenas de comuns objectos - são metaforicamente moldados a partir de testosterona. Não é propriamente um armazém de ferragens, mas já chega para aquecer.

Veja-se para onde se desloca sabiamente o machão. Direitinho para a parte das televisões. Onde finge que percebe. Mas não há muito que perceber ou discutir. O homem caga se é stereo, se é NICAM ou 16:9. Quanto maior, melhor. Ponto final. Todas dão o mesmo canal, e se estiver a dar um jogo de futebol, ou outro desporto que fuja ao golfe e outras coisas do mesmo grau de rabetice, o homem fica ali, coladão à maior de todas as televisões, a ver.

Outra coisa situada igualmente no mesmo calibre machal, é passear pela zona dos enchidos. O apreciar, o cheirar das carnes melhora o dia do macho, como um elixir. Ver ali todos os presuntos pendurados é um estímulo para um grande repasto quando chegar a casa. Mas a sorte sorri aos audazes, e por esses lados o homem ainda encontra aquelas ofertas de fiambre ou presunto. Aproveita para encher a pança enquanto deita o olho à menina das ofertas. Como se sabe, comer e ver o mulherio são duas actividades que ocupam grande tempo no quotidiano do macho. Pode dizer, caso se adeque, «Ricos presuntos que andam por aqui, hein?», um piropo rebuscado.

Não fica por aqui. O homem tem de chegar ainda à zona onde estão os barbecues todos, ali a apreciar «aquelas coisas modernas». Ri-se com ar de gozo, enquanto diz bem alto - ao mesmo tempo que um pseudo-macho observa interessadamente um dos produtos - «Ó Maria, vamos que eu cá não preciso daquilo. Fogareiro a carvão é muito melhor. Ó lá se é!». É das alturas em que o macho se aproxima do que poderia ser chamado um «pedagogo do colhão», dando uma lição aos outros senhores que por lá se passeiam de sapatos de vela e calças vincadas.

De preferência a mulher deve escolher produtos suficientes para encher dois carrinhos. Quanto mais tempo para pagar, melhor: Enquanto a mulher coloca tudo naquela passadeira e volta a arrumar tudo em sacos no carrinho, o homem - que antecipadamente escolhera a empregada de caixa mais jeitosa - fica de olho na moça, principalmente no seu decote.

Aprendam a ir ao supermercado como deve ser, em vez de se porem a escolher o leite com mais cálcio, foda-se.

Ressabianços: 5

Blogger Emanuel Vilela
(22 julho, 2005 00:46)

Escolher o carrinho k ta com as rodas em pior estado tb é d'homem! E comprar peças po carro e instala las no carro no parke d estacionamento é colhão state-of-the-art..

 
Anonymous Anónimo
(22 julho, 2005 20:02)

pah até q já eras menos anormal... domingo à tarde tá td fechado lol:x
bom post:P

 
Anonymous Profeta
(24 julho, 2005 12:56)

oh anonimo o lidl tá aberto aos domingos de tarde! aprende a ser homem! vens para aqui mandar postas sem teres informação devida!

 
Anonymous Anónimo
(25 julho, 2005 21:50)

haverá possibilidade do macho de deslocar ao supermercado sozinho?

 
Blogger Henri
(19 dezembro, 2009 22:56)

Também é muito d'homem escolher os produtos que já estão fora do prazo ou estragados, de modo a que seja possível entupir a zona de trocas e devoluções. Homem que é homem tira montes de senhas para se entreter. Quando o homem vem acompanhado leva sempre mais do que um carrinho para que possa engarrafar melhor o supermercado.

 

Enviar um comentário

<< dehomem.blogspot.com