<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d13730762\x26blogName\x3dD\x27Homem\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/\x26vt\x3d-9092945672773493816', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

05 julho 2005

Zaragata

Homem que é homem participa, por vezes, numa Zaragata. Porrada ou pancada é coisa de mancebo imbérebe. Entre os machos chama-se zaragata.

Um caso típico propício a uma é a batota ao jogo. Uma renúncia na Sueca é quase assinar a sua própria sentença de morte. Veja-se que entre arroto e uma cartada, às vezes um chico-esperto quer sempre passar a renúncia na última vaza. E lá joga ele um três de copas, quando três jogadas antes tinha cortado uma manilha de copas, safando a sua própria. (homem diz manilha ou bisca, nunca sete ou seta) Cai o Carmo e a Trindade. Se o chico-esperto diz que não reparou, está tudo perdido. Em empurrão e murro a coisa descamba. O seu próprio parceiro da Sueca não admite perder 4 jogos e portanto, zaragata.

Rapidamente a palavra se espalha e mais clientela do tasco vem ver, enquanto a... Micas grita para pararem. Durante uma zaragata, ninguém - mesmo ninguém - se mete ao barulho. O desaguisado é entre dois senhores, deve ser resolvido apenas entre os dois. Portanto ninguém liga à... Tina. Os machos resolvem as coisas ali entre si, ai de quem tentar meter a colherada. Os machos, verdadeiros espectadores de uma luta, fazem as suas apostas - não apostam dinheiro, apostam a honra - enquanto pedem à... Maria mais uns petiscos de macho, e fartos da insistência da mesma tentam desviar a zaragata para a rua, sem que ela pare.

Percebo que este tipo de narração não acrescenta o realismo e a masculinidade que a coisa merece.Da última vez falei do jogo da Malha. Ora, é um jogo com várias aplicações. O magistral domínio no jogo da Malha serve também para começar uma zaragata no tasco local. Aqui e ali, em diversas mesas, decorrem actividades macho, como os seus jogos (sueca, dominó, damas), acesas discussões sobre futebol, animadas tertúlias sobre as jovens moçoilas da localidade e como ficarão dali a uns aninhos, banais discussões acerca do tempo ou do governo acompanhados de azeitonas e linguiça, etc. Contudo há alturas em que todo o tasco é envolvido numa conversa. Vejamos:

Dois machos de clubes rivais discutem a arbitragem do jogo de domingo entre os seus clubes, e em desacordo, um deles - aleatoriamente o Joca - pergunta bem alto para o seu mais fiel companheiro na outra ponta da sala, na espera de apoio:
- "Ó Tó Xico, mas tu axas que aquilo era para vermelho? É que aqui este cabronete tá a insistir, pá. E ó mais nem para amarelo era!".
O tasco espera ansiosamente pela resposta...
- "Ó Joca... Ó Joca... Tem juízo, hóme! Ó se era! Ó LÁ SE ERA! Então o gajo quase lhe arrancou o joelho! Desculpa lá pá, mas desta vez ele tem razão."
Cria-se um silêncio "de cortar à faca".

Atentai agora: E o Joca, tri-campeão do Torneio da Malha, mostra toda a sua mestria. Em fúria, pega no cinzeiro, fá-lo sobrevoar todo o tasco, até que faz tombar a Super Bock do Tó Xico - sujando-lhe ainda mais a imunda roupa - para mais o seu mais fiel amigo, de quem não esperava tal desfeita. E assim, com esta mostra de quem manda, se dá início a uma zaragata, mas a pedido da Micas/Tina/Maria alguns machões colocam a zaragata lá fora, enquanto todos se apressam, de cerveja e tremoço, para ver o arraial de porrada, à medida que discutem entre si "Foda-se, aquilo fez lembrar quando ele ganhou o Torneio há dois anos, bom lançamento, nao foi ó Mané?"

Aprendam, mariconços que lutam em ginásios.

Ressabianços: 6

Blogger Riky Martin
(06 julho, 2005 12:20)

foda-se aqui tá uma puta duma posta interessante caralho!!!
isto sim, é informação util!

continua com firmeza que este país precisa de gajos como tu!!!

 
Anonymous Atalaia
(06 julho, 2005 12:34)

Alguém explique o que é uma renúncia à sueca.... AH AH AH !!!

 
Anonymous Profeta
(06 julho, 2005 12:45)

o zé quintó ainda vai com sorte se o cinzeiro lhe foder a SuperBock (crime por si só) e não o seu abono de família!!

 
Blogger Riky Martin
(06 julho, 2005 12:51)

Macho que é macho, fode logo o fucinho ao outro, deixa a super-bock inteira para a mamar em seguida enquanto diz para os amigos presentes:
-- eu até nem gosto de zaragatas, mas eute cabrão andava a pedi-las!!!

 
Blogger Ginjas
(07 julho, 2005 14:00)

Atalaia, era mister que urgisses a apregoar petiz cuzinho em lupanares diversos deste.
Ora pois não sabes o que é uma renúncia? É quando um gajo tem uma carta de um determinado naipe ao qual a vaza foi puxada e não a joga. Capice?

 
Blogger Emanuel Vilela
(07 julho, 2005 16:12)

Aí esta...malhar nos outros é d'homem!

 

Enviar um comentário

<< dehomem.blogspot.com