<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d13730762\x26blogName\x3dD\x27Homem\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/\x26vt\x3d-9092945672773493816', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

16 setembro 2005

Roteiro D'Homem: Tasco

Caros discípulos, a palavra do D'Homem é sábia. Mas no alto do apregoamento da masculinidade e à sombra da árvore da testosterona, um homem pode (quase) emocionar-se. É facto que se emociona quando há futebol, mas fora isso pouco mais. Excepto quando me foi permitido entrar em certo tasco - perto de Vila Verde - que me encheu as medidas.

Roma não se fez num dia, e tal espaço másculo denota todo um cuidado que deve ter levado... não mais que alguns dias a preparar. Visualizem:
  • Anciãs portas de madeira, às quais se acede subindo degraus de pedra.
  • Paredes decoradas com calendários:
    • Um dos calendários publicitava enchidos, mas a fotografia mostrava, além dos enchidos, espingardas, junto a uma velha lareira.
    • Outro num ma'lembra, algo de transportes ou ferragens.
    • O mais notável de todos, tinha apenas um desenho. O desenho representava certo homem que no lugar do seu gamardo tinha tetas de vaca. E então, uma frase que entrou directamente para o compêndio das frases mais D'Homem do universo: «Se beber leite em vez de cerveja, é isto que acontece.» Urras e murros na mesa a isto.
  • Em cada ponta do tasco, um banco corrido de madeira.
  • Três mesas de madeira, com cinzeiros pretos do Talho Gonçalves.
  • Um expositor de cassetes e CD's para venda: «O Ténis» (repare-se no possível trocadilho) de Quim Barreiros, uma cassete dos Broa de Mel, etc.
  • No balcão: um balde de azeitonas e um balde de tremoços. Só ao alcance de quem tem pele tipo lixa.
  • Ao invés daquelas arcas frigoríficas paneleiras de inox, um velho frigorífico.
  • Pairava um cheiro a mofo, a velho.
  • Era uma mulher ao balcão. Chamava-se Maria. (Efectivamente não sei, mas todas as mulheres são Maria - especialmente se forem Maria do Patrocínio).
  • Por detrás do tasco, uma outra velha porta de madeira ladeada por prateleiras - de madeira.
  • Creio que havia uma mini-estátua de uma santa.
Homem que é homem frequenta tascos assim.

É claro que me emocionei com este idílico espaço. Era o Jardim do Éden na Terra. Certa perspicaz pessoa apontou «Mas cheira a lavado!». Muito oportuno. Mas façamos prontamente a associação:

Horas vagas + Mulher no Balcão = Limpar

Concerteza que tinha o aroma do lava-tudo. Mas aposto aí 2 contos de reis (homem que é homem diz «contos de reis» ou «mé' reis») que limpou com uma esfregona já toda preta da sujidade e um pano roto - retalho de uma manga caviada velha.

E para mais, o tasco era junto das Azenhas do Rio Homem. É facto.

Aprendam.


N.R.: Os pedagogos do D'Homem têm-se visto entre mais trabalhos, daí a menor frequência dos posts. Tem um motivo: Nem a lenha se corta sozinha nem o peixe se pesca sozinho. Que D'Homem.

Ressabianços: 5

Anonymous euga
(16 setembro, 2005 11:32)

que d'homem! :D

 
Anonymous Profeta
(20 setembro, 2005 20:58)

onde fica essa "meca" d'homem?? quero lá ir prestar o meu culto ao deus quim!

 
Anonymous Complicado
(30 setembro, 2005 01:23)

Esse cálendário d'homem pode também ser vislumbrado naquele que é provavelmento o local do Porto onde é consumida mais cerveja: a sala da Tuna de Engenharia da Universidade do Porto. Cerveja e cona (tremoços, couratos, chouriça, e outros que tais são periféricos sempre benvindos) em quantidades industriais!
Por falar nisso, aguardo com alguma ansiedade um artigo sobre tunas académicas (ansiedade para discutir com porrada as vossas opiniões, como é obvio).

 
Anonymous Anónimo
(13 setembro, 2006 12:01)

bem... eu cá sou desse local...

é no exacto extremo dos concelhos vila verde e amares...


mas quem visitar tb o rio, e as azenhas, não se arrependerá

 
Anonymous marl
(13 setembro, 2006 12:03)

e o antigo dono dessa tasca, que ja faleceu,familiar da dona Minda(Maria), é ainda uma lenda viva da zona.

quem não conhece, por lá, as suas histórias, brincadeiras, partidAS...Etc...

 

Enviar um comentário

<< dehomem.blogspot.com