<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d13730762\x26blogName\x3dD\x27Homem\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/\x26vt\x3d-9092945672773493816', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

09 dezembro 2005

Histórias à Homem - O Capuchinho Vermelho

Era uma vez uma cachopa que morava na floresta. Ela chamava-se Micas. Era mesmo boa. Os trolhas, que construíam as casas dos emigras na floresta, mandavam muitos piropos. A cachopa fazia manguito para os trolhas e eles riam. A micas não gostava das casas que eles construíam. Eram feias. A mãe um dia disse-lhe que era por ser de emigras, que faziam de propósito para ser feias e de metal e de vidro. "Que mundo estranho!" pensava a gaja.
Um dia a Micas foi levar presunto aos avós. A Micas gostava de levar presunto, porque o pai dizia que era bom. O pai dizia que era "dómem caralho". Ela não percebia nada, mas sabia que era bom porque o pai salivava sem estar a ver a Marlene. A Marlene era a empregada, que era mesmo boa.
Mas voltando à estória, a Micas encontrou o António no caminho, que era um jovem da aldeia lá a beira.
- Que levas aí? - perguntou o António. E apalpou-lhe o cu.
- Ta foder o blá! Já tou farto de te aturar! - respondeu a Micas.
E passado dois minutos já estavam a foder no meio de uns arbustos. Depois, comeram o presunto e o António ofereceu um cigarro à Micas.
Mais tarde, a Micas chegou a casa dos avós. O avô chegou-lhe a roupa ao pelo(1) porque ela não trazia o presunto. A Micas depois foi ter com a avó, que estava na cama com cancro.
- Ó avó, porque tens uns tumores tão grandes? - perguntou a Micas.
- Para te fazer falar. - disse a avó.
- Ó avó, porque tens uns melanomas tão grandes? - perguntou a Micas.
- Para te fazer falar, caralho! - disse a avó.
Depois a micas foi embora. Quando chegou a casa, o pai deu-lhe o arroz(1) porque ela cheirava a tabaco.

FIM


(1) Expressões muito de homem para designar porrada aplicada a menores.

Ressabianços: 18

Anonymous Profeta
(10 dezembro, 2005 20:58)

Já não me lembrava de uma história tão boua, desde a dos três trolhas sebosos! Fodass até ja vou dormir melhor! Bons velhos tempos em que andava eu a comer presuntos enquanto mandava coça nos presuntos da garina!

Arrotos e coçadelas nos culhões

 
Anonymous Anónimo
(11 dezembro, 2005 13:53)

Que tipo de pessoa eh que deseja "arrotos e coçadelas nos culhões"?

 
Anonymous Anónimo
(11 dezembro, 2005 18:56)

que tipo de pessoa é que conjuga verbos como interjeições?

 
Anonymous Meneses
(11 dezembro, 2005 23:12)

que tipo de pessoa é que se dá a conhecer como "anônimo"...? lol

 
Blogger Johnny Boy
(12 dezembro, 2005 13:43)

"que tipo de pessoa é que conjuga verbos como interjeições? "

Cheira-me que este "Anónimo" é mesmo o tipo de pessoa que nos esperamos que venha ca e aprenda qualquer coisa. Benvindo.

 
Anonymous gena
(12 dezembro, 2005 18:41)

bravo, johnny boy! :D

 
Anonymous Anónimo
(12 dezembro, 2005 19:36)

eu tenho é coisas para vos ensinar, johnny.

POR EXEMPLO, e aleatoriamente, conceitos como "rei dos patuscos", dizem-te alguma coisa? pois.

cachucha

 
Anonymous Profeta
(12 dezembro, 2005 21:03)

arrotos e coçadelas nos culhões são coisas d'homem. se nao entendes isso, pah és um caso perdido.

 
Anonymous Compi
(12 dezembro, 2005 23:18)

Ei, ei...


Calma aí... O primeiro comentário anónimo fui eu que o fiz, e foi anónimo porque calhou, nunca me dei bem com estas modernices, estes computadores...


E alguém se deu ao trabalho de responder à minha pergunta?

Que tipo de pessoa eh que deseja "arrotos e coçadelas nos culhões"?

Uma pessoa muito d'Homem, claro está!

Cárálho!

 
Anonymous Anónimo
(13 dezembro, 2005 00:35)

Dax, que voces têm mm mt pco k fazer!!

Neves

 
Blogger Ginjas
(13 dezembro, 2005 02:44)

Caro Neves (nome muito de homem, pois evoca lenhadores a desfazer sequóias com serras de duas pegas):

Pois temos. Mas repare-se: poderíamos muito bem hoje ser pessoas felizes e ocupadas, caso a terrível maldição dos dinossauros divorciados (os que atravessam desfiladeiros em tupperwares) não se tivesse abatido sobre os bambis, que são os arquiinimigos dos bambus (que, como toda a gente sabe, comem pandas).

Abraço, Ademar

 
Anonymous compi
(13 dezembro, 2005 19:46)

Comem pandas (qual cozido à portuguesa) com o cotão do humbigo dos pandas a servir de arroz do forno... Que d'Homem!!!

 
Anonymous Anónimo
(15 dezembro, 2005 21:59)

Façam o que fizerem nao ponham as culpas no cotao.. a culpa é do Seboso, Umbigo Seboso.
Neves

 
Blogger José Nuno Ferreira
(17 dezembro, 2005 12:32)

os pandas tao em extinçao, n se brinca c coisas sérias...

 
Anonymous Anónimo
(21 dezembro, 2005 15:16)

Andei eu nesta terra pra nada!Cá pra mim esta gente anda a tomar demasiado estrogenio com o chá das cinco!!!dinossauros?"taparuéres"?? enfim...get a life you crazy old fools

PS: Estão todos convidados po meu aniversario

Jesus Cristo

 
Anonymous Anónimo
(21 dezembro, 2005 21:09)

d'homem e' comer umas rabandas a escorrer molho, isso sim!

 
Anonymous Anónimo
(23 dezembro, 2005 00:44)

a historia é nossa, ginginhas do meu coraçao, lol :P

 
Blogger Pedro
(27 dezembro, 2005 21:03)

tá tudo prejudicado...

 

Enviar um comentário

<< dehomem.blogspot.com