<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d13730762\x26blogName\x3dD\x27Homem\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dSILVER\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://dehomem.blogspot.com/\x26vt\x3d-9092945672773493816', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

18 junho 2005

Café

Café é D'homem. Mesmo. Como todos sabemos, o café vem de uns arbustos chamados Café (ou então estou a regar à boi) donde saem uns grãozinhos vermelhos. Diz que um dia um pastor (muito de homem ser pastor - não se faz nada o dia todo e ainda se fodem umas cabrinhas e/ou ovelhas, ou mesmo uns capuchinhos vermelhos in the wrong place at the wrong time) estava a dormir encostado a um calhau, num local onde nunca tinha ido, quando acorda com uma ovelha a saltar-lhe à espinha (tecnicamente, a arrancar-lhe as calças com os dentes). O gajo lá lhe alivia o cio e trata de regressar à letargia. Ora o que se passou, na realidade, é que a ovelhinha tinha mamado uns bagos de café, e pronto, ou não. Lendas.

Homem que é homem bebe café. Nada mais de lycra do que chegar a um café e pedir "ó sáxabôr era um descafeinado". Meu deus. Tanga de leopardo.
Homem que é homem ferve a àgua para o café (amarelada e cheia de depósito de ferrugem) numa cafeteira tão velha que podia muito bem ter sido usada por Cristóvão Colombo, numa lareira. Depois saca dos bagos, mastiga-os para os moer, e cospe para a cafeteira para fazer a infusão. Depois bebe tudo de um trago com a água ainda a borbulhar da ebulição, expira profundamente, limpa a beiça ao antebraço, e deixa a cafeteira para a mulher lavar.

Em cercas circunstâncias, tais másculas condções não estarão ao seu dispor e vejamos - homem que é homem é homem mas não vai fazer uma fogueira no meio de Sta. Catarina. Permite-se então a entrada num café para pedir "um café". Não "um café cheio/curto/pingado/com leite" nem "uma meia de leite" nem "um pingo" nem nenhuma das alariladas variações lexicais e semânticas associadas. Somente "um café". Depois diz "bote-me aí uma gotagem de bagaceira e bote o resto num copo". Não diz "uma nata" (duh). Homem que é homem bebe o café e depois o bagaço, não esquecendo de apontar o dedo mindinho a 90º dos outros e de estalar a língua no final.

Dada a circunstância da frequência habitual de um tasco, o pedido resumir-se-à a um básico "o costume ó micas/tina/maria". Note-se a selecção de "micas/tina/maria" como três nomes generalistas muito de homem para mulher. Esta rotina pode ser eventualmente adendada com mais uma fase de intercâmbio se a dita senhora indagar (desnecessariamente) "um café e um bagaço?", ao que homem que é homem responde "olarila" ou qualquer um das muitas expressões de homem disponíveis no extenso léxico masculino.

Homem que é homem acompanha o café com tabaco. Adendo no entanto tal assunto para um futuro post. Até lá.

Ressabianços: 3

Blogger Emanuel Vilela
(19 junho, 2005 21:15)

Ei! Lendas não é de homem! Criatividade e sensibilidade é coisa de mariconcio! :-O

 
Anonymous Koch
(15 setembro, 2005 20:56)

Na verdade, quando um home que é home diz lendas, refere-se a historinhas que um amigo conhecido por meter coros lhe contou.

 
Anonymous Johny Guitar
(08 outubro, 2006 00:53)

Ah e tal... café! O café é um bem essencial à existência de qualquer criatura do ser masculino que queira ser reconhecida como um belo exemplar da sua espécie... Pior que o descafeinado que referiram... só mesmo o carioca de café...

Mas qual é a lógica de um carioca de café? Porque não pedem um café e um copo de água e despejam o café no copo de água e etm um mega carioca! Bah!

 

Enviar um comentário

<< dehomem.blogspot.com